O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

P


PEREIRA, Carlos Emídio

nascido em Vidago, concelho de Chaves, a 19 de Janeiro de 1917, fez os estudos em Chaves até 1931, ano em que conclui o Curso de Comércio na Escola Industrial e Comercial Júlio Martins.
Nos anos 1937 e 1938 escreve dois romances, Sonhos Desfeitos e Máscara Azul, que ainda se mantém inéditos. Entretanto em 1927 iniciara a actividade musical na Banda Municipal de Chaves "Os Canários", banda onde já tocavam o Pai e os irmãos António Maria e João Baptista. Entre 1939 a 1979 dirige alternadamente as duas bandas da cidade (em 1939 assume a regência da Banda "Os Canários" onde se mantém até 1948; de1948 a 1964 dirige a Banda Municipal Flaviense "Os Pardais"; de 1964 e 1976 regressa à Banda "Os Canários"; de 1976 a 1979 regressa àBanda "Os Pardais", cessando aí a activa regência de bandas). A partir de 1940 funda diversos grupos de música, o "Jazz Flávia", o "Alegria Jazz", a "Orquestra Lusitana", culminando com a formação, em 1960, do quarteto "Calypso". Em 1943, com textos de Carlos Branco, Tiago Gomes e Hernâni Carvalho escreve as músicas para a opereta "Sonho de Zíngaro". Em 1944 com textos de José Quintanilha Dias escreve música para a opereta "Seja o que Deus Quiser". Em 1945 musica textos de Quinta nilha Dias para a opereta "No País dos Sonhos". Em 1946 entra para a função pública, como funcionário do Liceu Nacional de Chaves, passando em 1948 a exercer funções na Escola Industrial e Comercial de Chaves até 1987, ano da aposentação. Em 1949, com letra do Padre Adolfo Magalhães escreve a "Marcha do Vidago". Nesse ano de 1949 vê ainda eleita por voto popular a "Marcha de Chaves" com letra de Maria Nelson. Em 1974 com poema de Barroso da Fonte escreve a "Marcha do Desportivo de Chaves". A propósito das comemorações dos XIX Séculos de Chaves escreve a marcha para banda "XIX Séculos". A 11 de Junho de 1988 por iniciativa da Rádio Radiante Rádio de Chaves é alvo de homenagem pública, data em recebe da Câmara Municipal de Chaves a Medalha de Prata do Município. Em 1999 a Câmara Municipal de Chaves deliberou atribuir o nome de "Maestro Carlos Pereira" a um arruamento da cidade. Ao longo dos anos escreveu dezenas de músicas, para grupos corais, orquestras e bandas. Musicou ainda poemas de diversos autores flavienses. Da produção musical estão registados cerca de 80 títulos na Sociedade de Escritores e Compositores Teatrais Portugueses. Após doença, faleceu a 10 de Abril de 1994 em Chaves.


In iii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt