O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

M


MACHADO, Victor de Sá

Embora nascido em Angola, em 18.11.1933, era filho de pais Transmontanos, respectivamente de Algoso (Vimioso) o pai e de Chacim (Macedo de Cavaleiros), a mãe. A UNEARTA, n° 5, de Maio de 2002, dedica lhe 3 páginas, a propósito da sua morte, em 27 de Abril de 2002. Daí transcrevemos: Victor António Augusto Nunes de Sá Machado nasceu na Caala Huambo (Angola) em 18 de Novembro de 1933. De profundas raízes transmontanas, era filho de Américo Virgílio de Sá Machado, natural de Algoso (Vimioso) e de Maria Raquel Nunes, de Chacim (Macedo de Cavaleiros). Frequentou o liceu de Caala, onde terminou o segundo ciclo (curso geral), grau máximo de ensino ministrado naquele liceu. Aluno talentoso, obteve uma bolsa de estudo para finalizar os estudos liceais no liceu de Sá da Bandeira (Angola). Foi um dos dois alunos melhor classificados no 7° ano daquele liceu, naquele ano escolar. Em 1951 veio para Portugal e matriculou se no curso de Direito da Universidade de Coimbra. Como bolseiro do Governo Português, frequentou a Universidade e licenciou se em Direito. Fez pós graduação em Ciências Jurídicas na mesma Universidade. Mais tarde, a Universidade do Porto e a Universidade Nova de Lisboa concederam-lhe o Doutoramento Honoris causa. No ano 1956, ano em que terminou a licenciatura, o seu ex Professor, reitor da Universidade de Coimbra e Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Doutor Ferrer Correia, convida o para ir trabalhar com ele (integrado na sua equipa), na Fundação Calouste Gulbenkian. Sá Machado aceita o convite e em breve demonstra a sua inteligência brilhante e a profunda cultura humanista que possuía. Mais tarde, o Presidente da mesma Fundação, Dr. José de Azeredo Perdigão solicitaIhe os seus serviços junto do próprio Gabinete. Foi nomeado Director da Fundação em 1961. Exerceu este cargo até 1969. No mesmo ano foi convidado a integrar o Conselho de Administração. Tomou posse do cargo de Presidente do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian em 29 de Dezembro de 1998. Foi agraciado com várias condecorações portuguesas e estrangeiras. Proferiu diversas conferências em vários Institutos e Universidades portuguesas e estrangeiras. Foi fundador e primeiro Presidente do Instituto Democracia e Liberdade. Presidente da Comissão Nacional da Unesco (1966/1978) e (1980/89). Membro fundador e Vice Presidente do CDS. Deputado àAssembleia da República, entre 1976 e 1979, de que foi Vice Presidente de 1976 a 1978. Entra para o Governo como Ministro dos Negócios Estrangeiros do II Governo Constitucional, em 1978 e foi Membro Fundador e Presidente do Movimento Humanismo e Democracia. Faleceu a 27 de Abril de 2002.


In iii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt