O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

V


VAZ DE CARVALHO, Francisco

a Voz de Trás os Montes de 20 04 2000, publicou uma nota biográfica acerca da Família Vaz de Carvalho e afirma em título que foi uma "família de cinco gerações de músicos". E esclarece essa nota que "se realizou no dia 18 de Abril, no Museu de Vila Real mais uma tertúlia "História ao Café", com a apresentação de "A família Vaz de Carvalho. Cinco gerações de Músicos", por Vítor Nogueira. Por conter uma série de elementos objectivos, transcrevemos essa nota, tal qual foi publicada: "A família Vaz de Carvalho tem origem em Terras de Basto. A família fixa se em Vila Real em meados do séc. XVIII, no lugar da Timpeira, onde se mantém há 250 anos. O nome actual Vaz de Carvalho resulta da junção por via matrimonial, já em Vila Real, de duas famílias: a de José Romão Vaz e a de José Carvalho. Francisco Vitorino seguiu desde muito novo (11 anos de idade) a carreira comercial. Assenta praça, muito novo, no 3.° Batalhão de Voluntários de Cedofeita, durante as guerras civis. Com a convenção de Évora Monte, regressa a Vila Real, onde tinha um irmão militar, de nome José Luís Vaz. A vida comercial corre lhe prosperamente e torna se no terceiro maior proprietário da freguesia de Borbela. Casa duas vezes. Na escritura antenupcial do segundo casamento, celebrada em 1865, contém se uma relação de bens móveis, em que aparece referendado um piano de pau preto de seis oitavas e meia. Este piano, que ainda existe, deve ter tido estimulada vocação musical das gerações que se seguiram. Francisco Vitorino foi Vereador da Câmara Municipal de Vila Real. Como tal, a ele se deve o apeamento do pelourinho em 1865, bem como, no ano anterior, a proposta de transformara Associação de Cidadãos, em Companhia de Socorros contra Incêndios. Teve quatro filhos, em três dos quais se manifestou a vocação musical. João Baptista Vaz de Carvalho (1866 1903), seguidor do Partido Progressista, foi empregado bancário, comandante dos Bombeiros Voluntários, redactor e fundador de "A Cruzada". António Augusto Vaz de Carvalho (1870 1925), igualmente empregado bancário, desenvolve também a actividade de fotógrafo amador. Dedicou se a diversas actividades artísticas, como o teatro, a pintura e principalmente a música. Tocava viola e foi regente da Tuna Académica Vilarealense, Maria Leopoldina da Glória Vaz de Carvalho (1868 1959) dedicou se ao canto e à guitarra portuguesa, José Luíz Vaz de Carvalho (1875 1957), oficial de Finanças, tocava guitarra portuguesa e pertenceu à Tuna Académica Vilarealense. De José Luíz Vaz de Carvalho nasce, em 1921 Manuel Magalhães Vaz de Carvalho, advogado distinto caçador, conversador emérito, poeta e músico. Durante a sua estadia em Coimbra, onde se licenciou em Direito, sentiu se fascinado pela arte de Artur Paredes, com quem troca mais tarde correspondência. Da relação entre ambos resulta a circunstância de Manuel Vaz de Carvalho passar a dispor de duas guitarras que pertenceram a Artur Paredes. uma delas com a sua assinatura e construída por Kim Grácio, de Lisboa. Em quatro dos seus oito filhos reaparece a vocação para a música. São eles Luís (guitarra portuguesa), Paulo (guitarra clássica), Pedro (guitarra) e Inês (canto). De todos, é Paulo Vaz de Carvalho o único que se tem dedicado à música em termos de profissão. Licenciado em Direito por Coimbra, tal como o pai, acompanhou muito novo Carlos Paredes. Acompanhou também Adriano Correia de Oliveira. Conhece António Victorino d'Almeida em Viena, de quem se tornará próximo. Como bolseiro da Secretaria de Estado da Cultura, Paulo Vaz de Carvalho frequenta a Academia Superior de Música de Viena, continuando, mais tarde, os seus estudos em Paris, onde, com a mais alta classificação, conclui o Curso Superior de Guitarra, na Escola Nacional de Música de Aulnay. É exímio instrumentista, compositor, mestre em Ciências Musicais pela Universidade de Coimbra, docente da Licenciatura em Ensino da Música na Universidade de Aveiro e colaborador da Universidade de Trás osMontes e Alto Douro. A quinta geração desta família predestinada para a música érepresentada por Luís (guitarra) e Inês (piano), filhos de Luís; Mafalda (canto), filha de Pedro; e Pedro (viola baixo) e Gonçalo (piano), filhos de Paulo".


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt