O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

S


SOUSA PEDROSO, Elisa Baptista de (1881 1958)

Pianista e notável animadora da vida musical portuguesa natural de Vila Real de Trás os Montes. Filha do visconde de Camaxide, o jurisconsulto António Baptista de Sousa, e de sua esposa D. Josefa de Carvalho Baptista de Sousa. Mulher do advogado Alberto Pedroso. Desde jovem, dedicou se à música, especialmente ao piano, tendo estudado com os professores Francisco Baía, Alexandre Rey Colaço e Viana da Mota, e, mais tarde, em Paris, com Raul Pugno, Eduardo Risler, Ignaz Friedman e Alfredo Casella. Também recebeu lições de Música de Pedro Blanch, Luís Filgueiras e Pablo Casals. Havia ambiente artístico na casa de seu pai, que era um exímio amador de violino, D. Elisa foi grande colaboradora de seu marido, quando este fundou, com outros, em 1917, a Sociedade de Concertos de Lisboa. Depois de enviuvar, em 1934, fundou o Círculo de Cultura Musical, de que foi eleita presidente vitalícia, e no qual realizou uma obra musical de projecção extraordinária. Revelou, ao público português, notáveis temperamentos musicais de todo o mundo, e incentivou os valores nacionais. Apresentou se, publicamente, aos 14 anos de idade. A partir de então, realizou numerosos recitais de Piano na Europa, tornando conhecidos, no estrangeiro, os nossos compositores. Além disto, pronunciou inúmeras conferências, não só no País, mas também nas principais cidades da Europa.
Publicou: Portugal e o Espírito; Cultural Artística de Hoje (1936); Música Espanhola Contemporânea (1937); Folhas Soltas, etc. Escreveu diversos artigos na imprensa portuguesa e estrangeira. Foi sócia da Academia de Belas Artes de S. Fernando, de Madrid; Presidente da Delegação Portuguesa da Revue International de Munique; Presidente de Honra do orfeão Donostierra, de São Sebastião (Espanha); Presidente Vitalícia da Juventude Musical Portuguesa, etc. Possuía as seguintes condecorações: Colar e Medalha da Cruz Vermelha; Cruz de Afonso, o Sábio (Espanha); Colares do Instituto de Coimbra e da Real Academia de Belas Artes de S. Fernando (Madrid); Medalhas de Sócia de Honra da Orquestra Sinfónica de Madrid; de Prata, da cidade de Lisboa (1947); e de Ouro, "Música", de Itália (1949): Ordem de Sant'iago de Espada e Grã Cruz da Ordem da Instrução Pública (1954); Legião de Honra, etc. O Governo Português prestou lhe significativa homenagem, em 1953, no Teatro Nacional de São Carlos, de Lisboa. O seu nome ficou ligado aos concertos populares, promovidos, nos últimos tempos, pelo Município Lisboeta. Em 18 04 1961, a Juventude Musical Portuguesa prestou homenagem à sua memória. Em Janeiro de 1964, foi inaugurado, na sede do Círculo de Cultura Musical, um museu com uma colecção de obras de arte e documentos que haviam pertencido à eminente musicóloga Elisa Pedroso, colecção oferecida pela sua nora Lucy Sequeira de Sousa Pedroso, viscondessa de Camaxide. Em 19 04 1976 foi homenageada no Teatro de São Luís, em Lisboa, em que participou o concertista Nikita Magaloff. Tem o seu nome numa rua de Lisboa.
A. Lopes de Oliveira In Dicionário de Mulheres Célebres


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt