O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

P


PAVÃO, Manuel Alberto Ferraz de Souza Athayde Rebello

nasceu a 26 de Setembro de 1931. em Suçâes, concelho de Mirandela, filho de António de Sousa Athayde Borges Rebelo Pavão e de Maria Fernanda Ferraz Ferreira Gomes. Chegou a frequentar a Universidade de Lisboa, curso de Direito, que não completou. Está casado com Ana Maria Bacelar de Athayde Pavão, com dois filhos, Francisco Manuel Aguiâ de Souza Athayde Pavão e António Alberto de Souza Athayde Pavão, estudantes universitários de Agronomia e Mecânica, respectivamente. Do seu currículo destaca se, Presidente da Assembleia da ex-Casa do Povo de Suçães (1960/74), Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Mirandela e da PEC Nordeste. Como autarca foi, deputado da Assembleia Municipal, Vice Presidente (1972/74) e vereador (1964/67) da Câmara Municipal de Mirandela. Foi ainda Presidente da Comissão Administrativa da Cooperativa Agrícola de Mirandela (1979/ 80), sento actualmente Director da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Região de Bragança. É Presidente da Interprofissional do Azeite de Trás os Montes e Alto Douro. Mas Manuel Pavão, como o próprio nome indica tem atrás de si um punhado de ascendentes liados à nobreza, que passamos a referir. com base em dados recolhidos no Tomo VI «OS FIDALGOS», da obra "Memórias Arqueológico Históricas do Distrito de Bragança", da autoria de Francisco Manuel Alves, que por sua vez refere um manuscrito da família Pavão, que lhe serviu de suporte: PAVÃO, Domingos Pires filho de Catarina Pires Pavão, instituiu o morgadio de Parada, sendo mestre escola da Sé de Miranda e seu irmão. Amaro Pires Pavão, reitor de Mascarenhas. Era casado com Da. Barbara de Sousa, filha de João Ferreira de Sousa Sarmento. Em 1691 possuía foros em Parada. Miranda e Mascarenhas. Já como cónego teve uma questão por assinatura indevida, sendo lhe retirada a cadeira de mestre escola em 1706. COUTINHO, Domingos Pires Pavão de Sousa casado com D. Catarina Maria de Bandos Pegado, foi capitão de cavalaria. Tis eram o filho morgado, Amaro Vicente Pa\ ào de Sousa. SOUSA, Domingos Manuel Pavão de foi abade de Vinhas (Macedo de Cavaleiros). Era irmão de Amaro Vicente Pavão de Sousa. COUTINHO, Amaro Vicente Pavão de Sousa foi fidalgo com moradia no Paço, por decreto de 23 de Dezembro de 1821, comendador de S. Bento de AN iz pelos feitos militares, por decreto de 3 de Julho de 1812, professou na Ordem de Cristo. por decreto de 17 de Julho de 1769. sendo sargento mór de cavalaria do Regimento dos Dragões de Chaves, como Coronel coadjuvou o General Sepúlveda na Restauração e o primeiro a
aclamar o governo português em Bragança, marechal de campo, governador das armas da província de Trás os Montes e senhor dos morgadios de S. Tomé e Santo Amaro de Parada. Nasceu em Alvites a 22 de Agosto de 1748, contudo o seu registo de baptismo foi transcrito para os livros de Parada de Infanções e faleceu em Dezembro de 1822. Casou com D. Caitana Morais Joaquina de Sá Morais Pereira do Lago, de Mosteiro, freguesia da Castanheira, do concelho de Monforte de Rio Livre, hoje concelho de Chaves. Fundou na sua moradia em Suçães, uma capela dedicada a Santo Amaro. PAVÃO, Francisco Giraldes natural de Paradinha do Outeiro, sendo cónego da Sé de Miranda e doutor. Faleceu em Miranda do Douro em 1745. PINTO, António Caitano de Sousa Pavão foi fidalgo da Casa real, por Decreto de 21 de Fevereiro de 1822. comendador da Ordem de Cristo, sendo armado cavaleiro desta Ordem na icyreja matriz de Mirandela, por decreto de 8 de Abril de 1837. Na carreira das armas foi tenente coronel de cavalaria e condecorado com a cruz de ouro da Guerra Peninsular. Foi Morgado de S. Tomé e Santo Amaro de Parada, onde nasceu a 5 de Janeiro de 1788. Recebeu ordens menores em 1808, tal como seu irmão, José Vicente Pavão de Sousa, nascido a 9 de Junho de 1790. Casou com D. Amónia Borges Rebelo de Ataíde e Vasconcelos, de Quintela de Lampaças. Tiveram dois filhos Francisco de Sousa Rebelo Pavão e António de Sousa Pavão. PAVÃO, Francisco de Sousa Rebelo senhor dos morgadios de Santo Amaro de Parada, Suçães, Mascarenhas, Corpo Santo de Lisboa e Quintela de Lampaças. Foi deputado pelo círculo de Mirandela em várias legislaturas. Casou com D. Margarida da Veiga Vaía Sequeira de Morais Sarmento, de Mirandela, filha de Francisco Manuel da Veiga Sequeira (director da alfândega de Bragança e capitão mór de Mirandela) e de D. Ana Mena Barreto. Tiveram quatro filhos (não se contam os que morreram sem deixarem descendência): Alberto de Sousa Ataíde Rebelo Pavão, D. Maria Filomena (casou com o juiz de direito, Francisco Augusto da Silva Leal), D. Beatriz (casou com António Xavier de Morais Pinto, com importante casa em Vale de Salgueiro Mirandela) e D. Margarida (casou com Leopoldo Ferreira Sarmento de Lacerda, da casa de Rande em Felgueiras). Faleceu a 16 de Novembro de 1903. PAVÃO, António de Sousa nasceu em Suçães em 1835 e faleceu solteiro, sem descendência, em 28 de Maio de 1906. Foi deputado em várias legislaturas e salvou da ruína a casa que seu irmão, Francisco de Sousa Botelho Pavão, arruinou completamente no jogo e nas lutas políticas. PAVÃO, Alberto de Sousa Ataíde Rebelo representante dos morgadios recebidos de seu pai, rico proprietário e modelo de homem de cavalheirismo e de bem. Nasceu a 21 de Outubro de 1871, em Suçães Mirandela, onde residiu. Casou em 1894 com D. Antónia da Costa Pessoa Pinto Cardoso (nascida em Sanfins do Douro a 13 de Junho de 1870). Tiveram três filhos: António de Sousa Ataíde Borges Rebelo Pavão (nasceu em Mirandela a 12 de Março de 1901, pai de Manuel Alberto Ferraz de Souza Athayde Rebello Pavão), Francisco de Sousa Veiga Vaía Sequeira de Ataíde Rebelo Pavão (nascido em Suçães a 8 de Março de 1908) e D. Maria Margarida de Sousa Ataíde Pavão (nasceu em Mirandela a 12 de Fevereiro de 1906). É de referir que a família Pavão ligou se por casamentos a outras famílias nobres: à Sá Morais Pereira do Lago (de Mosteiro Castanheira concelho de Chaves), à Sampaio Bandos Pegado (de Alvites Mirandela) e àSampaio e Melo (de Alvites Mirandela).
Jorge Lage


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt