O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

M


MACHADO, Rui Manuel de Oliveira

nasceu na Régua em 22 07 1926. Faleceu em Lisboa em 07 09 1999. Iniciados os estudos na terra natal, continuou os no Liceu de Lamego tendo concluído o antigo 7.° ano no Porto (Liceu Rodrigues de Freitas), onde fez os preparatórios de Medicina. Transferiu se então para Lisboa, onde a par da frequência do curso de Medicina cuja licenciatura obteve em 1950 desenvolveu uma intensa actividade desportiva e académica, já que tendo feito parte do Corpo Directivo da Associação Académica de Medicina de Lisboa durante todo o Curso. daquela foi eleito Presidente no ano lectivo de 48/49. Cumprido o serviço militar (em Mafra e no Hospital Militar Principal) instalou se em Lisboa onde permaneceu até ao final de 1953, onde desenvolveu a actividade profissional ao lado de figuras ilustres como os Profs. Cid dos Santos e Ducla Soares, trabalhando nos serviços de urgência dos Hospital Escola de Santa Marta e fazendo medicina privada em estreita ligação com o Dr. Paradela de Oliveira. Neste mesmo período e em termos académicos concluiu o Curso de Ciências Pedagógicas da Faculdade de Letras de Coimbra em regime de voluntariado, o Curso de Medicina Sanitária no Instituto de Higiene Dr. Ricardo Jorge, tendo ainda frequentado com aproveitamento os serviços de Vacinação do B.C.G. do Centro de Profilaxia e Diagnóstico do I.A.N.T. e os Serviços Anti rábicos do Instituto Bacteriológico Câmara Pestana, e concluído o Curso de Medicina Tropical. Obteve ainda os diplomas do Ensino Técnico e Liceal, o que lhe permitiu leccionar no Colégio Salesiano do Estoril, fonte principal de rendimento já que a actividade desenvolvida no Hospital de Santa Marta o era sem qualquer remuneração, a medicina privada pouco rendia e o Estado Novo lhe havia negado sequer a admissão ao concurso para médico militar, dato ter feito parte da lista de propositura do General Norton de Matos a Presidente da República. Janeiro de 1954 marca o regresso às origens, onde desenvolve uma actividade intensíssima quer no plano profissional quer nos planos social, desportivo e político (leia se regionalista) entre outros. A par da clínica privada, que exerce segundo o princípio de a cada um de acordo com as suas posses, passa a Médico Municipal do " 2.° partido", o mais distante da sede do concelho e é aí "nesse meio rural que contacta com as gentes da serra e estabelece com elas uma verdadeira amizade que ainda hoje mantém como médico da Casa do Povo de Sedielos, aldeia remota onde tinha o ninho a célebre águia do Marão e onde entre outros nasceu Guedes de Amorim, escritor contemporâneo, como se lê no curriculum vitae que escreveu enquanto estagiário de Radiologia do Hospital Geral de Santo António, no Porto especialidade em cujo Quadro o seu nome foi inscrito em Agosto de 1976 após 25 anos devotados à Clínica Geral, naquela pretendendo encontrar a organização de trabalho e de tempo que nunca pode conseguir nesta. Assim é que trabalha no Hospital D. Luiz I então propriedade da Santa Casa da Misericórdia, no Colégio da Régua onde dá aulas de Ciências Naturais, no posto da então Caixa de Previdência e no Sport Club da Régua de que passa a ser o médico e também, durante longos e muitos anos o seu Presidente. Em 1955 transfere se para o "partido médico" de Poiares e em 1961 é nomeado subdelegado de saúde substituto, lugar de que virá a pedir mais tarde a exoneração. Em 1961, não havendo em todo o distrito qualquer cardiologista, faz estágio no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde actualiza e aperfeiçoa a leitura dos traçados electrocardiográficos com o Dr. Bordalo e Sá, frequentando no ano imediato o Serviço de Cardiologia do Hospital Geral de Santo António e tendo participado no IV Congresso Luso Espanhol de Cardiologia, realizado no Porto e já em 1969 conclui o Curso de Climatologia e Hidrologia pela Universidade do Porto. Médico da Estância Termal de Caldas do Moledo, Director do Notícias do Douro durante anos a fio, dirigente da então desacreditada Adega Cooperativa, médico do trabalho na Central da EDP (então CHENOP) no Varosa, foi um referencial para uma série de gerações ainda lhe "sobrando" tempo para conseguir demover a proprietária do local onde ainda hoje se encontra instalado o campo de jogos do Fontelas, clube cuja direcção então e atentamente atribuiu o seu nome ao mesmo. Amando acima de tudo a sua família, as gentes da Região e do Douro com especial destaque as da sua terra dotado de uma vontade indomável, de uma persistência sem limites e de um entusiasmo contagiante, foi em 1962 convidado para assumir a presidência da Câmara Municipal de Peso da Régua, lugar que desempenhou até Fevereiro de 1970, desembainhando a espada na defesa de causas tão essenciais com a iluminação pública de, pelo menos, parte de todas as freguesias, o abastecimento público de água em condições satisfatórias, a abertura e/ou melhoria das vias de comunicação com a sede de concelho e até promovendo e conseguindo a existência do ensino oficial em Peso da Régua até ao actual 9.° ano de escolaridade, no que encontrou suporte no então Ministério da Educação Prof. Veiga Simão. Membro da Comissão Executiva do "Colóquio para o Desenvolvimento do Distrito de Vila Real", realizado em Dezembro de 1970, foram sonhos seus, comuns de toda uma região e uma terra alguns hoje concretizados a marginal da Régua e a construção de uma ponte entre Lamego e Régua que estreitassem ainda mais os ancestrais laços culturais, históricos, económicos e outros existentes entre as duas cidades irmãs porque, afinal, sempre foi aqui que nasceu Portugal, ou como gostava de dizer, por aqui viveram e passearam Egas Moniz e D. Afonso Henriques. Médico Auxiliar de Radiologia nos Hospitais da Régua e de Lamego, torna se estagiário do Serviço de Radiologia dos Hospitais de Santo António a partir de Novembro de 1972 tendo a respectiva aprovação profissional naquela especialidade tido lugar em Agosto de 1976, como se já disse. Em 1980/81 dá se o retorno a Lisboa onde, sempre sem se desligar das Termas, do Notícias do Douro, do seu amor ao torrão natal, reinicia a actividade agora somente de radiologia, com consultórios em Lisboa Pç. Francisco Sá Carneiro (ex Pç. Do Areeiro) e Av. da República, Amadora, Setúbal e Torres Vedras, participando ainda activamente em diversos eventos profissionais quer ao nível da radiologia quer do termalismo. Membro fundador da Casa do Concelho do Peso da Régua em Lisboa. foi eleito Presidente da Direcção da Casa de Trás os Montes e Alto Douro no biénio de 1997/8. Em 1997 foi eleito deputado municipal de Peso da Régua, como independente nas listas do CDS Partido Popular. Já no início de 1999 e conseguido o seu sonho de ter uma casa na Régua, aí se instalou exercendo clínica privada e ainda radiologia no Hospital da Régua.
São de sua autoria: "Elementos de Bacteriologia e Parasitologia" em colaboração com Rafael F. Claro, Lisboa, 1947; "Fracturas de Marcha" Mafra, 1952; "As Caldas do Moledo das suas Origens à Actualidade", 1973; "História do Vinho do Porto", publicado em artigos no Notícias do Douro de 1959 a 1964 (citado por António Barreto enz "Um Retrato do Douro", Ed. Vista Alegre, 1984 e em "Douro", Ed. Inapa, 1993); "Anonzalias de Desenvolvimento Osteoarticular Existência de unta Costela Sagrada" Porto, 1975. Faleceu em Lisboa, em 07 09 1999.
Notícias do Douro, 01 10 1999


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt