O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

G


GUEDES, António José Garcia de Miranda

Nasceu em Poiares da Réáua. em 25.11.1914. Licenciou-se em Engenharia Civil na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1939. Exerceu a sua actividade praticamente no Ultramar, para onde seguiu em 1940 como Adjunto do Chefe da Missão de Construção e Alargamento do Caminho de Ferro de Moçâmedes, na serra da Cela, cujo estudo e construção da via estreita havia sido realizado pelo seu Pai. Em 1948, já integrado nos Serviços de Portos e Caminhos de Ferro, chefiou a Brigada de Estudos e Construção em Angola, sendo autor do projecto do Cais Comercial do Porto de Moçâmedes, do alargamento do cais do Porto do Lobito e, em Moçambique, dos portos de Nacala e Lourenço Marques. Foi Director de Exploração do Porto e Caminhos de Ferro de Luanda, Director do Porto e Lobito e Fiscal do Estado junto do Caminho de Ferro de Benguela, então Companhia Inglesa. Foi Sub Director dos Serviços de Portos Caminhos de Ferro e Transportes de Angola e de Moçambique e mais tarde Director dos mesmos Serviços em Angola. Em 1966 foi nomeado Coordenador do Grupo de Missões Especiais (Porto e Caminho de Ferro) do Projecto Mineiro do Cassinga em Angola, tendo cumprido com inexcedível dedicação as dificuldades e constantes preocupações que a dimensão e natureza do trabalho lhe havia sido confiado, impunham. A alta relevância dos serviços prestados foi reconhecida pelo Governo da Nação, tendo o Ministro do Ultramar concordado com a sugestão feita pela Província de dar o nome de Eng.° Miranda Guedes ao rebocador de alto mar colocado ao serviço do Porto de Moçâmedes viu multiplicado por dez o seu tráfego normal e organizou os maiores comboios que circulavam então em Território Nacional. O Porto passou a receber os maiores mineraleiros que sulcavam os mares de então, sob as mais variadas bandeiras. Técnico experiente na construção de portos, as suas preocupações de carácter social, cultural e desportivo foram importantes, por todos os serviços por onde passou. Ocupou ainda vários lugares de destaque dos quais se regista o de Governador de Benguela, de Secretário Provincial de Obras Públicas de Angola e de Membro do Conselho Consultivo do Governo de Angola. Faleceu em 19 de Abril de 1968 em plena actividade profissional.
Alfredo Martins Guedes


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt