O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

D


DIAS, Adalberto Gastão de Sousa (1864-1934)

Oficial do Exército, deputado republicano e chefe militar dos movimentos reviralhistas de 3 7 de Fevereiro de 1927, no Porto e 4 de Abril de 1931, na Madeira. Natural de Chaves, cursou o liceu em Vila Real, os preparatórios da Escola do Exército em Coimbra e concluiu o Curso de Infantaria da Escola do Exército em 1885. Filiou se no Partido Republicano depois de 1910 e, em 1912, como major, comanda um batalhão que combate as incursões monárquicas na fronteira norte do país. Em 1917, com o Dezembrismo, Sousa Dias é preso e colocado no Regimento de Infantaria de Reserva n.° 18, no Porto. Em 1920, já coronel, é comandante interino da 3.a Divisão do Exército, sendo promovido a general em 1924. É deputado pelo círculo do Porto em 1921 e 1923. Após o 28 de Maio de 1926, perante o apoio generalizado da oficialidade do Norte, sob o seu comando, ao movimento militar, declara a sua adesão a Gomes da Costa, pedindo no entanto a exoneração do comando da Divisão. Em 1927 comanda o movimento revolucionário de 3 7 de Fevereiro contra a Ditadura Militar. Preso e separado do serviço, é deportado para S. Tomé, onde permanece onze meses. Em 13-4-1929 é julgado e condenado a dois anos de prisão correccional por "ter excitado militares de terra contra a autoridade do Presidente da República''. Apesar de já cumprido n tempo, é lhe fixada residência no Faial e. mais tarde, na Madeira. Nesta ilha chefia o movimento revolucionário de 4 de Abril de 1931, sendo nomeado governador militar da ilha pela Junta Revolucionária. Subjugada a revolta é de novo preso e deportado para Cabo Verde, onde manterá, até à sua morte, uma intensa rede de contactos com a oposição, em Portugal ou no exílio, core vista ao derrube da ditadura e à sua substituição por um governo republicano e democrático. Não tendo sido amnistiado em 1932, é constituído processo (TME, proc. 115/935) que, por sua morte, é extinto e mandado arquivar (6-4-1936).
BIBL.: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira: A H. de Oliveira Marques (org.), O General Sousa Dias e as Revoltas contra a
Ditadura 1926 1931. Lisboa, 1975.
Luís Manuel Farinha in Dicionário de História do Estado Novo




In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt