O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

C


COMBA DE TRÁS OS MONTES, Santa (Séc. Inc.).

Virgem e mártir lusitana; filha de um pobre lavrador e irmã de S. Leonardo. Era pastora e guardava o gado de seu pai; mas tão grande era a sua formosura, que dela se enamoravam todos quantos a viam. Embora o Re António de Vasconcelos, na sua Descrição de Portugal, lhe atribua a naturalidade do termo de Guimarães, Frei Luís dos Anjos, na obra Jardim de Portugal, considera como sua terra natal Lamas de Orelhão (Mirandela), no distrito de Bragança. Isto é tanto mais de admitir quanto é certo existir, na localidade de Orelhão, uma ermida com a invocação de Santa Comba, enquadrada nas ruínas da Citânia romana, ali descobertas. Dominavam, nesses tempos remotos, os Mouros, em toda a zona de Trás os Montes, e um dos principais senhores árabes quis tê la no seu harém. Recorreu a rogos, a promessas e até a ameaças. A jovem a tudo resistiu, desesperadamente, fugindo lhe. Um dia, porém, o chefe sarraceno, andando à caça. viu a e lançou se sobre ela, para a agarrar. Imediatamente, diz a lenda, uma fraga se abriu, ocultando a e evitando que o árabe dela se apossasse. No auge da fúria, o perro infiel atirou a sua lança contra a fraga. Nesta fraga, para sempre, teria ficado uma marca. segundo refere a tradição, logo tendo ali nascido uma fonte, cujas ágrtas são muito saudáveis, que se chan ia comunrmente Fonte Santa. António Ferreira, conta o milagre nos seguintes versos, dos seus Poemas Lusitanos:
Senhores conto o que meus olhos viram,
Vi os sinais da pedra milagrosa,
Bebi a Santa Água; e outros, que o sentiram,
Água Santa lhe chamam, e preciosa,
Isto os vivos aos pais, e avós ouviram
História divina é, não fabulosa,
Os templos, e os altares dão boa prova.
E com milagres mil o Céu o aprova.

Ali vêm mil cruzes, ali vêm mil votos
Chuva ora levam, ora o Céu sereno,
Não espanta a alta serra os seus devotos,
Nem cansa o velho, nem o moço pequeno.
Dos vizinhos lugares e remotos,
Vêm os pastores pedir água, e feno
Ali oferecer vêm brancas pombas.
Os moços Leonardos, moças Combas.

Ó maravilha grande! Abriu se a pedra.
Obedeceu à Santa rocha dura,
Obedeceu à Santa, e abriu se a pedra,
E defendeu a da cruel ventura.
Também a lança do mouro abriu a pedra,
Ao pé fica assinada a ferradura,
Ao pé da rocha, onde hoje inda parece
E na pedra a lançada se conhece.

A. Lopes de Oliveira In Dicionário de Mulheres Célebres


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt