O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

C


CASTRO, Amadeu Videira e

Nasceu em Valpaços, distrito de Vila Real, em 6 de Novembro de 1918, no seio duma famMia numerosa. Foi o penúltimo filho do Dr. Narciso José Videira e Melo, notário em Valpaços, e de Laura Cândida de Castro Videira. Casou em 28 de Março de 1949, com Mariette Rodrigues de Carvalho Santos Silva e do matrimónio nasceram quatro filhos: Jorge, Maria Laura, José Manuel e Isabel Maria. Fez a instrução primária em Valpaços, frequentando depois o Colégio de Lamego por onde já tinham passado seu Pai e Irmãos. Concluiu o liceu em Coimbra, com alta classificação, e quebrando a tradição da família, seguiu para Lisboa onde frequentou o Instituto Superior de Agronomia, tendo terminado o curso de Engenheiro Agrónomo em 1942. Iniciou a sua actividade profissional em Portugal, em 1942, na Estação Agronómica Nacional, mas foi fundamentalmente em Moçambique, para onde se deslocou em 1949, e ao longo de três décadas que exerceu a sua actividade desempenhando várias funções e ocupando vários cargos nos Serviços de Agricultura, nomeadamente: Chefiou as Delegações dos Serviços de Agricultura do Distrito de Quelimane (1949/1951), tendo prestado serviço na Estação Experimental de Mocuba e do Distrito de Gaza (1951/1953), onde iniciou as culturas do arroz e do trigo, por irrigação, no vale do Limpopo. Trabalhou na Divisão Hidráulica (1953/1956), dando continuidade aos trabalhos da campanha de resgate dos "machongos" do Sul do Save e seu aproveitamento para a cultura do trigo e do arroz, e ainda na Divisão do Fomento Orízicola (1956/1960). Exerceu o cargo de Presidente da Junta Autónoma de Povoamento Agrário (1960/1966), sediada em João belo (Xai Xai), Distrito de Gaza, tendo se dedicado fundamentalmente ao ordenamento das populações das explorações agrícolas nas Províncias do Sul (Maputo, Gaza e Inhambane) e à sua valorização com as culturas do amendoim, mandioca e plantação da cajueiros. Fomentou ainda a construção de habitações para os agricultores estabelecidos no Vale do Baixo Limpopo. Chefiou as Brigadas de Fomento Agrário de Moçambique (1966/1968), tendo em 1968 tomado posse do lugar de Chefe do Departamento de Povoamento Rural da Junta Provincial de Povoamento. Foi Director Adjunto dos Serviços de Agricultura e Florestas de Moçambique (1969/1974), passando a exercer em 1974 as funções de Director destes serviços, cargo que ocupou até 1977, altura do seu regresso a Portugal. Em 1978 regressou a Moçambique, a convite da F.A.O., para trabalhar como especialista de sementes num projecto ligado a esta Organização Internacional, onde permaneceu até 1980. Ao longo da sua carreira, exerceu ainda outras actividades, tais como: outras funções, participação em reuniões e frequências de estágios, das quais se destacam: Funções de 1.° substituto do Delegado do Procurador da República, na Comarca de Gaza, durante o período de 1952/1956; Estágios sobre as "Instalações de Beneficiação do Tabaco", na Rodésia do Sul, em 1952 e sobre a "Tecnologia Industrial do Arroz" e "estudos Bromatológicos" em Lisboa, em 1957; Vogal da Comissão Executiva Central do Serviço Extra Escolar para a melhoria educativa e social das populações, em 1961; Participação, na l.a Sessão do Comité de Agricultura da F.A.O., realizada em Roma, em 1972; Participação, como representante dos Serviços de Agricultura e Florestas de Moçambique, na reunião sobre "Estudos dos Problemas da Fauna Selvagem e Protecção da Natureza", realizada em Angola, em 1972; Participação na II Sessão Plenária do Conselho Ultramarino, realizada em Lisboa, em 1973. Entre a sua actividade científica destacam se os vários trabalhos que apresentou. nas diversas Conferências e Jornadas em que participou, tanto no País como no estrangeiro, salientando se: "Community Development in a Hydro Agricultural System". Trabalho apresentado na Universidade de Durban, na "Social Sciences Research Conference", em 1961. "Fixação e Promoção das Populações. Um caso típico na Área do Concelho de Gaza". Trabalho apresentado no IV Colóquio Nacional do Trabalho da Organização Corporativa e da Segurança Social, que teve lugar em Luanda, em 1966. "The Value of Community Development in the Proper Use of the Lands". Trabalho apresentado na Conferência da SARCUS, realizada em Salisbury, na Rodésia do Sul, em 1968. "Armazens Comunitários". Trabalho apresentado nas Jornadas Agro pecuárias, que tiveram lugar em Luanda, em 1968. "Comissão dos Rios Internacionais de Moçam bique". Trabalho apresentado para definição dos caudais a respeitar, nos rios internacionais, por parte da África do Sul, tendo em vista as necessidades para Moçambique, em 1968. "Teor em cloretos das águas do Rio Limpopo". Trabalho elaborado com base em análises efectuadas ao longo de 18 anos, em João Belo. Além destes trabalhos apresentados e publicados, há a referir artigos publicados nas revistas "Gazeta do Agricultor" e "Revista Agrícola" e ainda a preparação de diversos trabalhos para a elaboração do III e IV Planos de Fomento, nomeadamente no que se refere às culturas do cajueiro, coqueiro, mandioca e oleaginosas. Obteve ainda, ao longo da sua carreira, as seguintes condecorações e louvores: Louvado, em 18-08-1955, pela competência, ponderação e inteligência, relevadas na cooperação que prestou nos trabalhos de resgate dos machongos do Sul do Save. Condecorado, por Sua Excelência o Presidente da República, em 1956, com a medalha Comendador da Ordem de Mérito Agrícola. Louvado, por portaria de 16-09-1963, do Serviço Extra Escolar, pela sua valiosa colaboração prestada a esse serviço, como vogal da Comissão Executiva Central, o que fez com muita dedicação e espírito de sacrifício. Louvado, por portaria de 09-06-1965, da Secretaria Provincial de Obras Públicas e Comunicações, pela competência técnica e elevada dedicação que evidenciou em diversos trabalhos da Comissão dos Rios Internacionais de Moçambique, em acumulação com as suas funções oficiais. Ao longo da sua vida foi sempre um exemplo de rectidão e dedicação ao trabalho, ao estudo e à família, tendo orientado os filhos nos princípios por que se regia. Com a sua afabilidade angariou amigos por onde passou e deixou saudades em todos os que com ele privaram.


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt