O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

A


ALMENDRA, Júlia de (1904 )

Musicógrafa e musicóloga portuguesa; natural de Samões, Vila Flor. Iniciou os seus estudos musicais com Laura Croner, no Curso Geral de Violino. Depois, estudou no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, com Alexandre de Bettencourt e Vasconcelos. Tomou parte em diversos concertos, o primeiro dos quais no Teatro de São Carlos, quando tinha 11 anos de idade. Fez parte da Sociedade Coral Duarte Lobo, com a qual colaborou, em alguns concertos, no Teatro Politeama, de Lisboa. Dedicou se, seguidamente, ao estudo da música religiosa da Idade Média e do Renascimento, trabalhando com Solange Corbin e os padre Inácio Aldasoro e Pascoal Pirion, do Seminário dos Olivais. Dirigiu, de 1943 a 1946, uma classe de Canto Gregoriano no Instituto de Serviço Social de Lisboa, a primeira existente em Portugal. Fundou e dirigiu o Grupo Coral das Florinhas da Rua. Entretanto, a convite do Instituto Francês de Lisboa, especializou se em Paris, com bolsa de estudo do Governo francês. Ali frequentou os cursos de Musicologia na Sorbona e no Instituto Gregoriano da Universidade Católica. Obteve não só a licenciatura, mas também o título de "Mestre de Capela". Durante dois anos, estudou Paleografia Musical, com Jacques Ghailley, subdirector do Conservatório Nacional de Paris, e também frequentou o curso especial do "Método Ward", do professor Lennards, inspector oficial das escolas da Holanda que, nessa ocasião, regia esse curso em Paris. Tomou parte nos grandes concertos de Polifonia e de Canto Gregoriano, realizados no Palais de Chaillot, na Sala Pleyel, em Notre Dame e noutras Igrejas de Paris. Em 1951, iniciou em Portugal uma campanha a favor do conhecimento e difusão do Canto Gregoriano, procurando através das Semanas Gregorianas e de Fátima e das Semanas e Jornadas Gregorianas Regionais e Diocesanas, dar cultura e formação musical ao povo, insistindo, assim, em suprir uma lacuna na educação musical do País. Em Dezembro de 1951, fundou a Liga dos Amigos do Canto Gregoriano que, nessa altura, foi aprovada oficialmente. Mais tarde, criou o grupo coral "Cantate Domino", que é constituído por 500 figuras, e o Instituto de Estudos Gregorianos, em Lisboa. É membro da Sociedade Francesa de Musicologia, da Sociedade Internacional de Musicologia de Basileia, etc. Tem pronunciado conferências em Portugal, França e Brasil, e publicado artigos sobre a sua especialidade, em jornais e revistas portuguesas e estrangeiras.
A. Lopes de Oliveira In Dicionário de Mulheres Célebres


In ii volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt