O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

V


VELOSO, Agostinho Pinto

nasceu em Favaios, concelho de Alijó, em 20.11.1894. Faleceu em Lisboa, em 22.2.1970. Foi escritor e jesuíta. Dele escreve a Enciclopédia Verbo: Empregado do comércio, em Matosinhos, iniciou os preparatórios no seminário do Porto no ano de 1914 1915, tendo recebido a ordenação sacerdotal a 30.7.1922. Paroquiou as fregs. de Teixeira e Teixeiró (Baião), Sta.Marinha do Zêzere (Baião) e Pedreira (Felgueiras). Ao mesmo tempo que se dedicava à promoção religiosa, cultural e social dessas pops. e se tornava pregador muito aceite, começou a entregar se a activ. lit. em trads. e adaptação de obras formativas e mesmo ao jornalismo, mantendo uma polémica acerca de "Divórcio ou adultério" nas colunas de Fradique, de Maio a Julho de 1935. Para maior realização pessoal e apostólica entrou na Companhia de Jesus a 7.12.1937. Depois de quase 6 anos de formação ascética e filosófica, voltou ao campo de apostolado, no Verão de 1943, como redactor da rev. Brotéria, em Lisboa. Jornalista de garra e verbo camiliano, colaborou em vários jornais (usando por vezes os pseudónimos C. de Turcifal e Carlos Alberto de Lemos) e revs., sobretudo na Brotéria onde publicou c. 200 ensaios que vão desde o campo da apologética ao da crítica lit. e artística. Em vol. deu à estampa poemas, ensaios e uma biografia. Foi em grande parte um autodidacta que, até ao dia em que um atropelamento o vitimou, sopesava criticamente tudo o que lia. Operário evangélico incansável, foi orador popular, conferencista culto, poeta de lira ingénua, polemista dialéctico, ensaísta não raro brilhante, e crítico de arte por vezes pouco sensível aos elementos estéticos: cegava o o empenho da defesa da fé, da verdade, e da pátria, tornando se por vezes rude e até bravio ele que chegava a enternecer se até às lágrimas.
OBRAS PRINC.: Poesia Parábolas de sempre, P., 1954; Vitral Antigo; 1956: Da poesia e do sonho, ibid., 1961. Ensaio Antero e os seus fantasmas, P, 1950; Os Problemas do Pensamento à Luz do Pensamento de Deus, ibid., 1955; Naturalismo Rotário e Sobrenaturalismo Cristão, ibid., 1955; Nas Encruzilhadas do Pensamento. I Sob o Signo de Descartes. II Sob o Signo de Husserl. 111 Sob o Signo de São Tomás, 3 vols., ibid.,1956 1957; O Homem em Face da Dor. Perspectivas de Problema do Mal, Lx., sld (1961); O Comunismo Visto por Dentro. 1A Negação Comunista. II A Afirmação Cristã, 2 vols,. ibid., sld (1963). História D.Teodósio Clemente de Gouveia. Paladino de Portugal ao serviço de Deus, 2 vols., Lx., 1965.
M. Alves de Oliveira


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt