O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

S


SEPÚLVEDA, Manuel Jorge Gomes de

natural de Bragança (16.4.1735) veio a falecer em Lisboa (28.4.1814). Era filho de outro ilustre transmontano, António Gomes de Sepúlveda, natural de Mirandela, sargento mor de Cavalaria de Almeida. Foi Fidalgo Cavaleiro da Casa Real, por alvará de 19.10.1789, fez parte do Conselho de D. Maria I e de D. João VI. Foi administrador dos vínculos de Mirandela e Amendoeira. Casou no Rio de Janeiro em 24 de Setembro de 1781 com Joana Correia de Sá Velasques e Benevides, filha do alcaide mor do Rio de Janeiro. Foi Governador da Província do Rio Grande do Sul (Brasil) e aí desenvolveu notável acção, quer na defesa da fronteira, quer na administração interna. Essa acção traduziu se na criação de 7 freguesias, erigindo 2 colégios para a educação de nativos e dando estruturas à vila que veio a ser a importante cidade de Portalegre. Bem pode este Bragançano considerar se o pai (fundador) dessa importante cidade brasileira. Aí se impôs pelo nome de José Marcelino de Figueiredo, não se sabe bem, por que motivos. O que se sabe é que por carta régia de 14 de Junho de 1764, foi Manuel Jorge Sepúlveda nomeado governador da cidade de Bragança. Novamente foi nomeado por carta régia de 11 de Novembro de 1793 governador das armas da Província de Trás os Montes. Manteve se nessas funções até que nova carta régia de 15 de Fevereiro de 1809 o substitui pelo brigadeiro Francisco da Silveira Pinto da Fonseca. Manuel Sepúlveda foi, nessa altura chamado para conselheiro de guerra, por Decreto de 2 de Outubro de 1808, com o posto de general. Na tarde de 11 de Junho de 1808, nas escadas da Igreja de S. Vicente, falou ao povo de Bragança que o aclamava como chefe do Movimento que iniciou a libertação de Portugal do domínio Francês. Em 1929, por iniciativa do benemérito Bragançano, Dr. António Teixeira, essa circunstância foi legendada, em azulejos embutidos no lado sul da parede da Igreja de S. Vicente. Nesse painel se pode ver o general a ser proclamado pelo povo, representado por nobres, padres, militares e muitas mulheres.


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt