O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

N


NEVES, Jaime Alberto Gonçalves das

nasceu na freguesia de S. Dinis, concelho de Vila Real, em 24.3.1936. Entrou na Escola do Exército em 1953 e fez cinco missões de serviço nas Províncias Ultramarinas de África e Índia. Fez o curso de comandos e foi um dos mais prestigiados da Amadora, sede militar dos Comandos. Após o 25 de Abril de 1974 a sua unidade e o seu comando são mal vistos, porque ele não alinhou nos exageros revolucionários. A sua acção nos acontecimentos do 25 de Novembro de 1975 foram decisivos para dominar os rebeldes militares que no 11 de Março desse ano tinham revelado instintos de guerra civil. A unidade de Comandos era a principal unidade operacional de infantaria do Exército. E Jaime Neves foi o cérebro do êxito no sentido de travar, definitivamente os intentos dos golpistas. O país inteiro reconheceu nele o grande responsável pelo regresso à normalidade militar entre os Portugueses. Em 1995 foi lhe atribuída a medalha de grande oficial com Palma, da Ordem Militar da Torre e Espada, do valor, Lealdade e Mérito. Por se tratar de um transmontano que teve papel decisivo, em período tão agitado da vida nacional, transcrevemos, o alvará da concessão, pela Presidência da República e Chancelaria das Ordens Portuguesas: "Considerando que o Coronel de Infantaria "Comando" Jaime Alberto Gonçalves das Neves, ao longo da sua brilhante e valorosa carreira militar prestou altos serviços às Forças Armadas e à Pátria, marcados pelo heroísmo, abnegação e notável espírito de decisão; Considerando que no comando de tropas em campanha revelou invulgares qualidades de chefia, espírito de missão, coragem e sangue frio em acções de alto risco debaixo de fogo; Considerando que o Coronel Jaime Neves teve uma participação decisiva nas acções militares que conduziram à restauração da democracia em Portugal e à sua intransigente defesa, nomeadamente pela sua actuação em 16 de Março de 1974, em 25 de Abril de 1974 e em 25 de Novembro de 1975 e que teve acção importantíssima na reestruturação da disciplina nas Forças Armadas; Considerando as qualidades de carácter, generosidade e frontalidade que são timbre da sua personalidade e do prestígio nacional que goza, quer entre os camaradas de armas, quer na sociedade civil; Considerando os efeitos de heroísmo militar e cívico do Coronel Jaime Neves, as elevadas condecorações e significativos louvores que lhe foram atribuídos ao longo de toda uma carreira militar que constitui elevado exemplo e o elegeu como motivo do maior prestígio para as Forças Armadas e credor da gratidão do Povo Português: Mário Soares, Presidente da República e Grão Mestre as Ordens Honoríficas Portuguesas, faz saber que, nos termos da respectiva Lei Orgânica, aprovada pelo Decreto Lei n.° 414 A/86 de 15 de Dezembro, confere ao Coronel de Infantaria "Comando" Jaime Alberto Gonçalves das Neves, de nacionalidade portuguesa, o grau de Grande Ofical com palma da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito. Por firmeza do que se lavrou, o presente alvará que vai ser devidamente assinado. Publique se. Presidência da República, 13 de Julho de 1995, Mário Soares".


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt