O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

M


MORENO, Augusto César

nasceu em Freixo de Espada à Cinta, em 10.11.1870. Foi professor e escritor. Cursou a antiga Escola Normal do Porto de 1887 a 1890, onde foi diplomado no ensino elementar e complementar com altas classificações e prémios pecuniários. Foi professor oficial em Mogadouro, Aldeia Galega do Ribatejo (hoje Montijo) e Miranda do Douro. Daqui passou para a Escola de Ensino Normal de Bragança, depois transformada em Escola Primária Superior, ensinando sempre com inexcedível brilho e proficiência. Aposentou se ao cabo de 32 anos de serviço. Exerceu também os cargos de Presidente e VicePresidente da Câmara Municipal de Bragança, por mais de uma vez, o de administrador do concelho, após a proclamação da República, cargos em que testemunhou sempre grande elevação de carácter e virtudes verdadeiramente democráticas. Prosador elegante e castiço, além de poeta primoroso e delicado, colaborou, ainda em estudante, em diversos jornais e revistas, tais como Gazeta Fiscal de Lisboa, A Arte e a Arte Livre, do Porto, e Nova Alvorada, de Famalicão. Autodidacta eminente, poliglota insígne, apaixonou se pela Filologia, de que émestre incontestado e incontestável, e como tal considerado em Portugal e no Brasil; e colaborou, nessa qualidade, na Revista Nova, de Trindade Coelho, na Revista Lusitana, de Leite de Vasconcelos, e na Tribuna, de Pires Avelanoso. Foi também por esse tempo um dos colaboradores de maior contribuição para o Novo Dicionário da Língua Portuguesa, de Cândido de Figueiredo.
É autor: do Glossário Transmontano, riquíssima recolha de termos regionais, começado a publicar na Revista Nova e concluído na Revista Lusitana; dos dicionários Popular, Elementar e Complementar da Língua Portuguesa; de Joio na Seara (análise a algumas obras de Cândido de Figueiredo); de Lições de Linguagem, 4 vol., sobre as mais diversas questões do idioma pátrio; de Lições de Análise, Fonética e Ortografia. 3 vol.: de Como falar Como Escrever. resposta a consultas sobre prosódia, ortografia e sintaxe da língua nacional, publicadas em O Primeiro de Janeiro; além de diversos compêndios escolares, como Gramática Elementar, Redacção, Geometria e Ciências Naturais, pertencentes à Série Escolar Educação. Traduziu: do espanhol, Como se Llega a Milionário, de Climet Ferrer, e Voces de Aliento, de Marden; e do francês, Le Rêve de Suzy, de Ardel; La Femme dans da Famille, da baronesa Staffe; La Grande Amie, de Pierre 1'Ermite; La Neige sur les Pas, de Bordeaux, e La Tâche, de E. Saint Galles. Com António Figueirinhas dirigiu O Português Popular, de que se publicaram dois volumes, quase totalmente colaboração sua. Por proposta do dr. Bemardino Machado foi eleito sócio do Instituto de Coimbra, e, por iniciativa de António Leal e da "Educação Nacional", a que se seguiu proposta do Governo Civil de Bragança, foi agraciado com o título e grau de oficial da Ordem da Instrução Pública, por serviços distintos prestados à mesma instrução. Publicada a mercê, foi lhe, em Outubro de 1933, prestada em Bragança pública homenagem, a que se associaram todas as corporações, autoridades e povo da cidade, os então Ministro da Educação Nacional e director geral do Ensino Primário, diversos professores, à frente dos quais Cardoso Júnior e Romeu Pimenta, e vários jornais, nomeadamente Novidades, Educação Nacional, escola Primária, Diário de Notícias, Diário de Lisboa, O Século e O Primeiro de Janeiro. Tendo em 1935 fixado residência no Porto, Augusto Moreno ali continua estudando dedicada e proficientemente os problemas mais interessantes da língua pátria. Colaborou na sua velha tribuna da Educação Nacional, em O Primeiro de Janeiro e nas revistas Ocidente e Revista de Portugal, de Lisboa, e, de colaboração com Cardoso Júnior e José Pedro Machado, publicou o Grande Vocabulário Ortográfico Luso Brasileiro. Trabalhou, com os mesmos cooperadores, na revisão e actualização do Dicionário de Morais, Augusto Moreno é lidimamente considerado um dos mais competentes mestres contemporâneos da Filologia e dos mais eminentes cultores da língua portuguesa, cuja pureza defendeu com brilho e vigor notáveis.
G.E.PB.


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt