O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

G


GRANJO, António Joaquim

Nasceu em Chaves, em 1881 e morreu, assassinado, em Lisboa, em 19.10.1921 Formou se em Direito, na Universidade de Coimbra, em 1907. Pertenceu ao Comité Académico Revolucionário que nesse ano, nasceu em Coimbra. Fez, mais tarde, o mesmo em Chaves, constituindo, aí, o seu Comité que se alargou a Trás os Montes e às Beiras, sempre em defesa dos ideais republicanos. Com esse empenhamento ganhou grande popularidade em toda a zona norte, o que muito contribuiu para que, em 1911, fosse eleito às Constituintes, continuando, depois, como deputado, por vários mandatos. Foi ministro por quatro vezes. A primeira em 1919, com a pasta da Justiça. Mas esse governo só durou dois meses. O segundo teve sorte pior, porque embora nomeado, um grupo de contestatários, não permitiu que tomasse posse. De Junho a Novembro de 1920 foi Presidente do Conselho de Ministros e Ministro da Agricultura. Ao quarto mandato, também como chefe do Governo, foi assassinado, cobardemente, à porta do Arsenal da Marinha, para onde fora levado pela célebre camioneta fantasma, da revolução de Outubro de 1921. Combateu em França, na Grande Guerra, como alferes miliciano, escrevendo, posteriormente, o livro: A Grande Aventura sobre esse tema. Foi director do Jornal a República e publicou, além do já mencionado, outros livros: Vtória de uma mocidade (1907), O Folheto do Povo (1909) (em prosa) e ÁGUAS (poesia) e ainda o opúsculo Cartas à Rainha D. Amélia. António Granjo ficou a marcar como figura das mais importantes, de sempre, na região de Chaves. Em 16.11 1921, a Câmara de Baião, deliberou atribuir o seu nome a uma rua da vila. A Câmara de Chaves, tinha feito o mesmo, em reunião de 26.10.1921. Bib. História de Portugal, Suplemento 1. Barcelos, 1958; J.L. Solari Allegro, Para a História da Monarquia do Norte, Lisboa, 1988; A.H. de Oliveira Marques, Dicionário de Maçonaria Portuguesa, 1. Lisboa, 1986.
Pinharanda Gomes


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt