O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

G


GAMA, Humberto

Nasceu em Mascarenhas, concelho de Mirandela, de um lar com grandes dificuldades. Estudou no colégio dos Jesuítas e ordenou se sacerdote. Esteve a trabalhar nos U.S.A, em Angola, em Inglaterra, na Coreia do Sul, em Roma. Aí foi agraciado pelo Papa pelo trabalho desenvolvido ao nível assistencial. É irmão de Dr. José Gama, deputado e Presidente da Câmara de Mirandela, o qual é, no ano em que elaboramos esta nota, candidato à Câmara de Coimbra. Em 1993, concorreu o P.e Humberto pelo PS, contra o Irmão José à Câmara de Mirandela. Perdeu o padre. Em 1997 candidatou se, como independente e, em nome da Solidariedade, àmesma autarquia, numa clara demonstração da sua apetência pela política. Com fins eleitoralistas distribuiu pela imprensa do distrito, um opúsculo, em papel couché, em boa apresentação, com mensagens de empenho pela Terra Transmontana. São dele algumas passagens que revelam bem o propósito de pugnar por ela: "Tive ascendência modesta, na sempre linda aldeia de Mascarenhas. Nasci para um convívio ordinário, com gente simples. Bebi de todos os cálices alegria, sofrimento, amizades e também traições. Dificilmente há trabalho ou situações de vida que me sejam alheias. Palmilhei as veredas do bem, sem desconhecer as do mal... Calejei me nas duas; mas tudo isso assumo e de tudo me orgulho. Cumpri o melhor que pude o meu destino. Aluno de jesuítas, onde aprendi a conjugação de alma sã em corpo são herdando daí o indestrutível gosto pela ordem, disciplina e solidão. Fui terminar o Curso nas Universidades de Washington USA e Roma, sem grandes inícios de revelação excepcional... Esta afirmação não é tecida de humildade ou modéstia, mas de verdade. Excelente amigo, companheiro de bem, e aluno razoável... Lutador, por excelência, dos direitos dos mais pobres e desprotegidos, desde logo me vi envolvido em lutas sociais e até religiosas, pelo que paguei altos preços morais, políticos e até físicos. Orgulhar-me-ei, sempre, dessas lutas contra as tenazes oposições do poder, dum certo alto clero, alguma nobreza e mesmo um reduzido povo. Aproveitei me do púlpito, na altura a minha tribuna parlamentar, para nalguns inspirados momentos de eloquência, defender os quase indefensáveis, não obstante a vigilância de todo um círculo político, que fez tudo para me castrar socialmente, em toda a dimensão e compreensão da palavra. Mas o poder espiritual ultrapassou o temporal, não obstante a artilharia pesada que certos "literatos de cozinha" me moveram. Fiz parte duma geração, que mergulhou, por vezes, no sonho utópico do Quinto Império, mas também acompanhei com outra de vorazes vampiros, que se alimentavam de revoluções e desordem. Mas, o meu sonho era o desabrochar de um mundo novo. Sem renunciar a algumas efemeridades dos prazeres terrestres, buscava, no entanto, uma religiosidade mais profunda e humanista. Denunciei, energicamente, as sociedades injustas e corruptas, e, como parte do xadrez desses acontecimentos, intervi, o mais sagaz e habilmente que pude, através da palavra oral e escrita. Fui irónico e mordente, mas justo. Geralmente não atirava a pardais, mas valia me duma espécie de facadas sacramentais. O meu papel, neste palco do mundo, nunca foi de mero espectador, mas antes actor criativo e acusador corajoso, sempre que fosse necessário e oportuno, utilizando a observação como fonte de muitos dos meus conhecimentos e convicções. É um privilégio do homem sonhar e ser disso consciente. A própria vida é uma sucessão de sonhos. Por isso fabrico as minhas opiniões o melhor que posso e defendo as o melhor que sei. Não me sinto num estado de razão virgem, mas procuro imitá-lo. O presente é caótico e aterrador, o Ocidente está dessacralizado; gerou se mesmo uma anarquia colectiva, sem disso termos dado conta! Onde está o Comunitarismo Evangélico de Cristo, para não dizer mesmo o de Tolstoi".


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt