O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

F


FONSECA, António Valente da

Nasceu na freguesia de Válega, concelho de Ovar, em 19.11.1884, falecendo em Vila Real, em 1972. Foi o segundo Bispo residente da Diocese de Vila Real, criada em 20 de Abril de 1922, por proposta de D. Manuel Vieira de Castro, natural de Poiares da Régua e arcebispo de Braga. Foi primeiro Bispo da Diocese D. João Evangelista de Vidal, entre 23.5.1923 e 1931. Em 23.10.1931 é nomeado D. António Valente da Fonseca, bispo titular de Céramo e auxiliar de Vila Real. Foi sagrado na Sé do Porto, em 21.2.1932 e entrou na Diocese de Vila Real em 8 de Maio seguinte. Em 31.5.1933 foi nomeado bispo residencial, tomando posse em 29 de Julho desse ano. Estudara no Seminário do Porto, onde terminou o curso Teológico, em 1906. Nesse ano, a convite do seu Bispo, D. António de Sousa Barroso, foi estudar para Roma, doutorando se em Filosofia e em Direito Canónico. Foi ordenado de presbítero na Basílica de S. João de Latrão, em 21.11.1907. Em 1911 concluíu os estudos universitários, regressando a Portugal em 1912. Antes fez uma viagem de estudo pelas principais cidades europeias, para se actualizar culturalmente. Conheceu, nessa altura: Espanha, França, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Suíça, Itália e Checoslováquia. Em 1914 foi nomeado pároco da freguesia de S. Cosme de Gondomar, e em 1923, foi transferido para a freguesia da Cedofeita. Em Gondomar fez uma obra ímpar: a ligação ao Porto e o estabelecimento da ligação eléctrica. Fundou também a primeira cooperativa da lavoura daquela região. Também em Cedofeita fez obra marcante, a começar pelo restauro da Igreja cujas obras estavam paradas desde 1910. Em Vila Real prosseguiu as obras do Seminário, para além de criar as "Florinhas da neve" e a Escola das donas de Casa. Procurou cultivar a colaboração em certa imprensa, nomeadamente em A Voz de Trás-os-Montes. De entre os escritos que deixou, destacamos: Exortação Pastoral, de 1942, sobre os deveres da hora presente. Ao longo de mais de quarenta anos, serviu a Diocese, de maneira desprendida e abnegada. Era um Homem simples, mas culto e esclarecido, sendo um bom Pastor para as ovelhas do seu redil.


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt