O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

E


ESTEVES, Manuel do Espírito Santo

Nasceu 25.8.1917 no lugar de Cachão, freguesia de Possacos, concelho de Valpaços. Formou-se em Medicina, com 16 valores, pela Faculdade de Medicina de Coimbra. Possui investigação científica e praticou em vários hospitais, em Lisboa, Madrid, Londres e Granada (todos hospitais escolares). Foi convidado pelo Director do Hospital de S. Carlos de Madrid, antigo hospital clínico Prof. Dr. Martin Lagos a executar a sua teoria da evacuação gástrica, baseada em potenciais eléctricos e a ficar ligado na investigação, à Faculdade. Publicou vários artigos médicos, científicos em matérias diversificadas e nomeadamente a sua teoria gástrica (nova no mundo), tendo feito uma conferência com a presidência do Prof. Dr. Maranon; publicou também um artigo no jornal Letras & Letras, com 4 novidades: explicação científica nova no mundo, da nossa concepção da pintura em transe; da nossa teoria original sobre a criatividade; da teoria do antipensamento, como nova forma de energia e da teoria da auto imunidade funcional (fisiopatologia do pensamento). Fez conferências médicas sobre investigação, no Instituto Maranon, na Faculdade de Medicina de Granada, com a Presidência do Catedrático Sanchez Agesta, na Faculdade de Medicina de Coimbra com a Presidência do seu Director Prof. Dr. Vaz Serra e no Colégio dos Médicos de Orense com a Presidência do Dr. Têmes Ramos. Como pintor: Exposições Individuais: 11, a destacar, na S.N.B.A. (Sociedade Nacional de Belas Artes); 3 no Ateneu Comercial do Porto e uma na Galeria Calçada (Porto). Exposições Colectivas: 75, a destacar Casa Museu Teixeira Lopos Gaia; artista homenageado na 2.a Bienal de Chaves, presente com 12 quadros, oferecidos ao Museu de Chaves; Euro Arte Guimarães; 2 Exposições Arte Médica na Gulbenkian; concurso "O Papel" na S.N.B.A. Lisboa; Congresso Internacional Arte Médica Curia; Sint Niklass Bélgica; Exposição Doação de 40 quadros Pintura ao Centro Cultural de Valpaços; Salon Siglo XX Art Show Marbella Espanha; Galeria Montserrat R. Broadway Nova York, com nove quadros pintura a óleo; Cruz Vermelha, na Fundação Cupertino de Miranda, Av. Boa Vista Porto; várias exposições de Sócios da Árvore, da S.N.B.A, com os Artistas Gaia e ANAP Prémio Mário Botas e Prémio Podium de Boticas. A Voz de Chaves, de 4.7.1997 insere uma entrevista com o Dr. Espírito Santo Esteves, conduzida por Elisabete Ferreira. Aí resume exemplarmente o tipo de pintura deste médico pintor, nos seguintes termos: A pintura em transe. Como já referimos, o infarto do miocárdio e o sonho acordado do Dr. Espírito Santo Esteves é que lhe abriram a porta do inconsciente, e o levaram a executar pintura em transe. O pintor inventou uma teoria que explica cientificamente a forma como a mesma é executada. Vamos, pois, tentar dá Ia a conhecer, de forma breve. A pintura em transe é uma pintura psico naturalista, na medida em que o homem depende da fenomenologia do mundo externo e do mundo interno. O Dr. Espírito Santo Esteves diz que para se pintar em transe tem que haver vocação para a pintura e possuir a faculdade de entrar em transe. Nesse tipo de pintura deixa de haver visão consciente, fazendo se esta apenas através de códigos retinianos, que se podem formar ou modificar num vigésimo de segundo, à custa da capacidade de recepção e selecção dos cones e bastonetes. Organizam se códigos de cores, ângulos, formas, etc., sucedendo se a um ritmo rápido; depois, passam aos centros de base, como o tálamo e daí às regiões temporais e pré frontais do cortex cerebral. Àmedida que o quadro vai sendo efectuado, de acordo com os códigos retinianos, o centro de pulsões faz uma pré programação, deixando apenas passar as cores, as formas que esse quadro admite, bloqueando outras, em função das mensagens activadoras ou inibidoras que chegam ao centro de pulsões. A mão só obedece às mensagens que lhe chegam assim se realiza um quadro, totalmente comandado pelos códigos rotinianos e sua integração pelo córtex cerebral e pré selecção do centro de pulsões.


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt