O Semanário de Trás-os-Montes e por excelência da Região Demarcada do Douro
Notícias do Douro Notícias do Douro
Notícias do Douro
Dolce Vita
[ Inquéritos ][ Fórum ][ Farmácias ][ Futebol ][ Agenda ][ Tempo ][ Pesquisa ][ Assinaturas ][ Publicidade ][ Ficha Técnica ][ Horóscopo ]
Transmontanos e Durienses +
Noticias do Douro
Pesquisa
Livro

Transmontanos e Durienses +

A


ARAÚJO, José Botelho de Carvalho

nasceu, acidentalmente, no Porto, em 18.5.1881. Faleceu no mar dos Açores, em 14.10.1918. Seus pais que viviam em Vila Real (José de Carvalho Araújo e Margarida Ferreira Botelho) deslocaram se ao Porto, em visita a familiares. Foi nessa altura que ele veio ao mundo. Casou em 13.1.1906, na Igreja de S. Dinis, em Vila Real, com Ester Ferreira Abreu. Frequentou a escola primária e Liceu de Vila Real, tendo feito em 1897 98 os Preparatórios na Academia Politécnica do Porto, para ingressar na Escola Naval, onde assentou praça, como aspirante de Marinha, em 12 de Outubro de 1899. Foi Guarda Marinha, em 1903; 2.° tenente, em 1905; 1.° tenente, em 1915; e capitão tenente (título póstumo), em 1918. Teve as seguintes condecorações: Medalha de Cobre de Filantropia e Caridade (Socorros a Náufragos), Medalha Militar de Prata de Comportamento Exemplar, Medalha de Prata Comemorativa das Campanhas do Exército Português, tendo na respectiva passadeira a legenda "Sul de Angola 914/ 915". A título póstumo foi condecorado com a Cruz de Guerra de l.a Classe, Medalha de Prata Comemorativa das Campanhas do Exército Português no mar 1916-17-18, e condecorado com o II Grau da Ordem da Torre e Espada. Foi diversas vezes louvado. O seu grande feito glorioso ocorreu no dia 14 de Outubro de 1918, dia em que o submarino "U 139" alemão, de 1500 toneladas se preparava para atacar o S. Miguel, que navegava do Funchal para Ponta Delgada com 206 passageiros a bordo. Tinha sido incumbido de o proteger o caça minas Augusto Castilho, comandado pelo 1.° tenente Carvalho Araújo. E foi com este pequeno barco, apenas equipado com duas peças de artilharia de proa que investiu contra a unidade inimiga e lutou até morrer contra uma unidade poderosamente armada de 6 tubos lança torpedos e dois canhões de tiro rápido com calibre de 150 milímetros. Entretanto o S. Miguel afastava se livre de perigo, embora o glorioso militar tivesse o fim que a si próprio impôs: "Heide morrer como Português".


In i volume do Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses,
coordenado por Barroso da Fonte, 656 páginas, Capa dura.
Editora Cidade Berço, Apartado 108 4801-910 Guimarães - Tel/Fax: 253 412 319, e-mail: ecb@mail.pt
Preço: 30€

(C) 2005 Notícias do Douro - Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital.
Design: Notícias do Douro. Email do Jornal: noticias.do.douro@netc.pt